.Gostaria de ter a inteligência de Einstein, de ter a beleza interior de Gandhi, de ter a beleza física de Evangelista e a cultura de Damásio... Ah, e já agora, se não for pedir muito, a conta bancária do Bill Gates... sou apenas uma simples mortal!!!!!

.Catálogo por assuntos

 

.Janeiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Em Tramitação...

. Depois de tanto tempo, o ...

. Uiiiii... que eu já não e...

. Cá venho registar...

. Johnny Neologista Mary

. Nada melhor para começar ...

. Sou só eu?

. Parabéns...

. Huuuuuummmmmmm...

. A indústria farmacêutica....

. E somos...

.Arquivo Definitivo

. Janeiro 2014

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

.Documentos Históricos

blogs SAPO

.subscrever feeds

Lilypie Kids Birthday tickers
Sexta-feira, 17 de Outubro de 2008

Enquanto conduzia...

Pensava "quem me dissesse há 4 anos que eu havia de me enervar ao volante por causa de papa-reformas, eu diria que essa pessoa era maluca!!!!"

Pois é, tirei a carta com 22 anos contrariada! A história da minha carta de condução é esta:

Tinha 16 anos quando achava imensa piada e desejava muito ter uma mota acelera, ora uma rica tia rica, sabendo deste meu desejo, prometeu que me ofereceria uma mota dessas caso eu entrasse na universidade! Facto que acabou por acontecer 2 anos mais tarde, e a minha rica tia rica veio ter comigo e disse para irmos ver a mota, recusei! Pois, aos 18 anos já não via a mesma piada na mota que via aos 16 (a adolescência é uma idade cheia de turbulência nas convicções!) e disse-lhe então que me desse o dinheiro da mota para eu tirar a carta, que isso sim, tinha piada!

A universidade é de facto um mundo fascinante, e com as novas experiências varreu-se-me completamente da ideia tirar a carta, adiei... sempre que me perguntavam quando é que ía tirar a carta, eu respondia que tinha tempo, porque agora tinha que estudar! A realidade é que nunca senti falta da bendita carta, afinal eu nem sequer tinha carro! Passaram-se 1,2, 3 e 4 anos, quando a minha mãe, numa noite de Junho e acabada de chegar de uma feira comercial famosíssima aqui na zona, me diz "amanhã vais à escola de condução acabar de fazer a matrícula, porque acabei de te inscrever e já paguei uma parte para aproveitar uma promoção!" Bem... nem imaginam a cachola com que fiquei, é que não me apetecia mesmo nada ir tirar a porra da carta!!!!

Lá fui então... às aulas de código fui 2 vezes, a 1.ª para ver como é que é (afinal também não havia de morrer estúpida!) e a 2.ª porque me ligaram em Setembro (matriculada em Junho, não esquecer!) a aconselharem-me a ir a exame porque já lá ía bastante tempo e então deveria ir já fazê-lo, expliquei que tinha exames na faculdade e perguntei se podia ser só em Outubro, disseram que sim mas que tinha que lá ir assinar o livro de presenças nas aulas, e assim fui à 2.ª e última aula de código!

Feito o exame no início de Outubro (errei apenas uma regra), fui então inscrever-me nas aulas de condução, tinham-me aconselhado um determinado instrutor, o J., e de facto ele era tão bom ou tão mau, que só tinha vaga nos horários dele a partir de Novembro "Não faz mal, eu espero :)" afinal a minha pressa era muito pouca!!!!

25 aulas de condução depois, no dia 6 de Dezembro, passei no exame de condução!

6 meses para tirar a carta, sem nunca ter chumbado, é obra!!!!

Escusado será dizer que não voltei a pegar num volante, das poucas vezes que pedi o carro emprestado ao papá, a resposta era sempre a mesma "quando tiveres dinheiro para a gasolina empresto-te o carro, que o MEU carro não é para passeares!!!" Caguei e andei, afinal eu desenrascava-me muito bem sem carro, não ía sentir falta de uma coisa que nunca tive!!!!

Foram então quase 10 anos sem conduzir, até ao dia em que o meu querido marido, por cumprir com o código de condução à risca, ficou sem carta por 6 longos meses!!!! Lá tive eu que puxar das minhas credenciais (leia-se carta de condução) e (re)começar a conduzir... nem imaginam a minha figura nos primeiros tempos... é que eu tinha desenvolvido uma estranha fobia ao volante que cada vez que me punha atrás de dele entrava literalmente em pânico, nem dormia na véspera só a pensar que no dia a seguir tinha que conduzir, não passava dos 40/50 km/h, não metia mais que a 3.ª velocidade e nem pensar em tentar seguir por uma estrada mais apertadita, subir uma com uma maior inclinação ou tentar estacionar de lado! Isto durou 2 ou 3 meses, lentamente a confiança começava a ganhar espaço na minha condução e hoje farto-me de dizer que o melhor que me podia ter acontecido foi o meu marido ter ficado sem a carta!!!

Isto tudo para dizer, que hoje me enervei com a porra de um papa-reformas, lá disse umas asneirolas e pensei que isto até dava um post assim para o giro... sei lá... digo eu!

sinto-me:
publicado por JohnnyMary às 13:48

link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De maria a 18 de Outubro de 2008 às 00:26
Como te compreendo!!
Só que eu ainda não consegui passar à 2ª fase :S
Beijinhos
Maria
De eueosmeus a 20 de Outubro de 2008 às 12:19
Oi

Pois eu tirei a carta, aos 18 anos, numa vila no centro do país, onde eu morava, e não existiam semáforos nem sequer passadeiras. Vim morar para Lisboa e fiz-me á estrada...ou melhor...à loucura. Hoje conduzo por toda a cidade. A experiência é tudo...como em tudo nesta vida.

Beijinhos.

P.S. a melhor escola é conduzir sozinha.

Comentar post

Site Meter